Os Antónios do Instituto

Antonio-Teixeira-da-Mota2

Consultado o “Dicionário de Nomes Próprios”, de Orlando Neves e o “O livro dos nomes”, de Regina Obata, podemos concluir que António é um dos nomes mais populares da antroponímia portuguesa. A sua origem permanece obscura, não se sabendo ao certo quem foi o primeiro António, se bem que alguns estudos lhe encontrem etimologia etrusca que deu em latim ‘Antonius’, que significa “valioso, de valor inestimável, digno de apreço”. Há outros estudos que sugerem que o nome António tenha etimologia grega, ‘Anthonomos’, que significa “alimentado de flores”.

Em Roma, havia uma família que fazia uso deste nome. O portador mais conhecido foi Marco António (83 a.c.-30 a.c.), militar que terá sido o braço direito de Júlio César. A difusão do nome masculino decorreu, no tempo das Cruzadas e, especialmente, em virtude do culto a Santo António, o Grande, também conhecido como Santo António Abade. Nascido no Egipto, por volta do ano 251, perdeu os pais aos 20 anos, desfez-se da sua herança doando-a aos pobres, e foi viver para o deserto. Pela ajuda prestada a várias pessoas, começou a ser seguido ainda em vida, tendo sido considerado Santo.

Fundador e 1º Director do Instituto dos Pupilos do Exército.

Fundador e 1º Director do Instituto dos Pupilos do Exército.

Em Portugal, o nome é largamente usado, sobretudo como consequência à devoção a Santo António de Lisboa (1195-1231) cujo culto foi difundido pelos cristãos de todo o mundo.

Entre as diversas personalidades que passaram pelo Instituto, encontramos muitos Antónios dignos de registo. Comecemos pelo princípio e vejamos alguns exemplos:

– António Xavier Correia Barreto, General, Fundador do Instituto Profissional dos Pupilos do Exército de Terra e Mar.

– António Ferreira de Sousa, 2º Tenente da Armada, um dos primeiros Professores efectivos, nomeado para leccionar no ensino primário superior (2ª Secção).

– António Augusto Figueiredo, Capitão de Engenharia, 1º Director. Exerceu funções de 12DEZ1911 a 03NOV1913.

– António Nascimento Gil, 1º aluno com o nome António. Foi admitido a 16JAN1912 e foi-lhe atribuído o nº 7.

– António Guerreiro, 1º aluno a frequentar o Instituto com o nº 21. Foi admitido a 17JAN1912.

– António Ferreira de Sousa, Capitão-Tenente da Armada, Regente da 2ª Secção de 1921 a 1922.

– António Augusto da Veiga e Sousa, Major Médico, Regente da 1ª Secção em 1931.

– António Eduardo Romeiras de Macedo, Coronel, Director de 17JUN1920 a 21MAR1921.

– António Adelino Freitas e Silva, 19170203, 1º Presidente da Assembleia Geral da APE, conforme acta nº 1 da AG realizada a 29OUT1932.

– António Maria de Freitas Soares, Coronel, Director de 25MAR1927 a 01DEZ1936.

– António Bernardino Castelo Branco Brito, 19310089, Brigadeiro, 1º antigo aluno a ser nomeado Director do Instituto. Exerceu funções de 01DEZ1974 a 29JUN1977.

– António Armando Lopes, 19190190, Comandante de Batalhão em 1927/28.

– António Barata Serôdio Rosa, 19370137, Comandante de Batalhão em 1942/43.

– António Ferreira Rodrigues de Areia, Major-General, Director de 11MAI1987 a 26SET1989.

– António Cipriano Pinto, Major-General, Director de 1989 a 1993.

– António Cardoso Ferreira da Costa, 19480249, Major-General, Comandante de Batalhão em 1955/56. Director de 06ABR1995 a 31OUT1997. Comendador da Ordem Militar de Avis.

– António Franco Leal, 19480372, Comandante de Batalhão em 1957/58.

– António Manuel Henriques Cardoso, 19570246, Comandante de Batalhão em 1964/65.

– António Amílcar Mourato Marmeleiro, 19610123, Comandante de Batalhão em 1969/70.

– António Areias Peixoto, 19320186, Major-General, Comendador da Ordem Militar de Avis.

– António Rodrigues Luz Correia, 19370215, Escultor.

– António dos Santos Boavida Pinheiro, 19460033, Coronel, Professor do Instituto e Secretário Escolar de 1974 a 1979. Grande Oficial da Ordem Militar de Avis.

– António José Barradas Barroso, 19460120, Poeta, Colaborador do Boletim da APE.

– António Jacinto Reis Vidigal, 19470268, Escultor.

– António Ribeiro da Silva, 19600093, Autor do livro “Cursos Superiores nos Pupilos de Exército – 1975 a 2008”, Colaborador do Boletim da APE.

– António Francisco Alves Rosa, Major-General, Director de 2008 a 2012.

– António José Cerejo Pinto Pereira, 19760487, Advogado, Presidente da Direcção da APE de 2014 a 2016.

– …

Conforme se pode verificar, a lista é extensa, e muitas foram as omissões, pelas quais desde já me penitencio. Esta é uma singela homenagem a todos os Homens, “valiosos, de valor inestimável, dignos de apreço”, que ao longo de mais de cem anos foram passando pelo Instituto dos Pupilos do Exército.

 

António Teixeira da Mota | nº19720021

X